16/10/2019

Manejo de maternidade: vaca bem cuidada é sinônimo de bezerro saudável

Os cuidados com a vaca no pré-parto e com os bezerros após o nascimento são muito importantes para garantir a saúde do animal e um melhor desempenho produtivo.

Médico veterinário da Bayer Saúde Animal explica quais ações são indispensáveis neste tipo de protocolo

Obter melhor desempenho e controle durante o período de gestação, evitando que vacas prenhas fiquem expostas a doenças e demais complicações. Esses são alguns benefícios assegurados para quem utiliza, de forma estratégica, o manejo de maternidade. O protocolo garante bem-estar ao animal e condições para gerar bezerros mais saudáveis.

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, o manejo de maternidade não inicia com o nascimento do bezerro, mas sim quando há a preparação da matriz para emprenhar durante a estação de monta. Já o término desse protocolo será após o nascimento da cria, quando o bezerro já se encontra com umbigo cicatrizado.

O médico-veterinário da Bayer Saúde Animal, Caio Henrique Favaro Borges, explica que o manejo de maternidade é essencial para ações mais assertivas no período de gestação e nascimento dos bezerros.

“Além do registro de dados na propriedade, os manejos de maternidade garantem ainda a desinfecção e a cicatrização correta do umbigo. Eles fornecem também a proteção adequada contra as demais enfermidades que possam impactar no desempenho produtivo do animal. Sendo assim, proporciona condições necessárias para se obter o resultado desejado na colheita de um bezerro com 50% do peso da mãe ao desmame”, explica.

Está em dúvida sobre como fazer um manejo eficiente? Não deixe de conferir as dicas no texto abaixo!

O que não pode faltar na estrutura do manejo de maternidade?

Uma estrutura adequada de piquete será essencial para um manejo de maternidade eficiente. Isso porque ela deve oferecer toda tranquilidade para um bom parto. Assim, é indispensável que o ambiente seja limpo, seco, arejado, com boa drenagem. Ele precisa ainda ser seguro para que esse protocolo seja desenvolvido sem riscos de acidente. Sombra, água fresca e comida na quantidade suficiente e para todos os animais, são sempre bem-vindas.

Por falar em alimentação, durante a maternidade até o período de desmame, a vaca deve seguir uma dieta equilibrada e rica em componentes nutricionais. Essa nutrição vai permitir que ela produza leite na quantidade adequada e que seja capaz de garantir bom desenvolvimento do bezerro.

Essas ações podem ser realizadas de forma ainda mais assertiva quando o piquete de maternidade fica instalado o mais próximo possível da casa do capataz. Dessa forma, o profissional poderá agir com mais rapidez caso surja alguma intercorrência.

Vacinas devem ser aplicadas durante o manejo de maternidade

As vacinas também têm papel importante durante o manejo de maternidade. Ao serem imunizadas corretamente, as vacas serão capazes de produzir um colostro de boa qualidade. Dessa maneira, transmitirão a imunidade necessária e ideal para o desenvolvimento do bezerro.

Em alguns casos, muitos produtores utilizam também produtos à base de Doramectina, como o Trucid®, para prevenção da miíase de umbigo (bicheira de umbigo), bem como para algumas verminoses que acometem os animais nessa faixa etária. O medicamento é aplicado por via subcutânea, em dose única.

“O uso do Trucid® é uma excelente opção para este manejo. Com a sua fórmula exclusiva Dual Oil, ele permite a liberação mais rápida do princípio ativo e maior concentração plasmática da doramectina”, explica o médico-veterinário da Bayer Saúde Animal.

O bezerro nasceu: e agora?

O bezerro nasceu! Mas calma, não é preciso agir com desespero. Entretanto, todo cuidado é pouco! Após o período de transferência da matriz e o parto, o manejo de maternidade deve ser dedicado exclusivamente à saúde e bem-estar do animal.

Logo no primeiro manejo da cria, deve-se coletar a maior quantidade de informações para os registros na fazenda. É imprescindível a identificação do bezerro e da mãe, bem como raça, sexo e peso no nascimento. Contudo, qualquer informação adicional é sempre bem-vinda e não deve ser ignorada.

Para maximizar os ganhos com os bezerros, o pecuarista pode investir em estruturas como o creep-feeding, que garantem o fornecimento da ração e de suplementos próprios para a idade. Outra alternativa é o creep-grazing, utilizado para fornecer pastagem de melhor qualidade para os bezerros.

Descuido pode causar doenças e levar o animal à morte

Os cuidados com a saúde do bezerro devem ter atenção redobrada, principalmente para não acarretar em problemas no futuro. Dessa maneira, nos primeiros dias de vida do animal, é preciso realizar a cura e desinfecção do umbigo com solução à base de clorexidine 5% ou iodo 7,5%. Essa ação, além de garantir boa cicatrização da região, auxilia na redução dos casos de onfaloflebite, que é a inflamação do umbigo e suas veias/artérias, bem como miíases, artrites, hepatites, herniações etc.

A falta de atenção pode ocasionar ainda em outras doenças que vão além das patologias ligadas à cura do umbigo, descritas acima. O bezerro mal cuidado pode desenvolver hérnias umbilicais e artrite, que é a infecção e inflamação das articulações, além de sepse, causadora de infecção generalizada. São doenças sérias que, dependendo da gravidade, podem levar o animal à morte.

Existem ainda outras enfermidades que não estão relacionadas ao processo de cura e desinfecção do umbigo. Entretanto, devem ser prevenidas também nesse primeiro manejo. É o caso da coccidiose, doença caracterizada pela redução no ganho de peso e causadora de diarreia de sangue em animais jovens.

“Nesse caso, uma solução coccidicida como o Baycox® 5% pode ser utilizada em dose única, por via oral, na dosagem de 3ml/10kg de peso vivo nos primeiros dias de vida do bezerro. Dessa forma, trará proteção contra esta enfermidade e seus impactos na produtividade”, garante Borges.

Investir no manejo de maternidade vai garantir mais lucratividade para a sua fazenda no futuro. Vale a pena!

L.BR.MKT.AH.2019-10-08.0724

Fonte: Entrevista com o médico veterinário Caio Borges, Consultor Técnico da Bayer Saúde Animal