26/12/2019

É possível controlar a Cetose em vacas leiteiras?

A Cetose é um dos principais distúrbios metabólicos no período de transição

A transição da gestação para a lactação é considerada uma época crítica para as vacas de leite. Esses animais passam por diversas mudanças metabólicas, que podem causar uma condição de Balanço Energético Negativo (BEN), levando a uma ativação de vias catabólicas. Nesse período, que engloba desde 3 semanas antes do parto às 3 semanas posteriores, as vacas sofrem um aumento significativo na demanda por energia, ao passo que não conseguem ingerir uma quantidade de alimento que atenda às exigências nutricionais, colocando em risco a sua saúde e desempenho.

O Balanço Energético Negativo causa o aumento de consumo das reservas de gordura do animal no início da lactação, que acarreta oxidação de ácidos graxos como fonte de energia alternativa. Dessa forma, essa reação pode sobrecarregar o fígado, resultando na formação de corpos cetônicos como beta-hidroxibutirato (BHBA), aceto acetato e acetona, que são liberados na corrente sanguínea. Esse quadro, conhecido como Cetose, acarreta em problemas na produção de leite e desempenho reprodutivo dos animais. Mas quais são as opções de tratamento?

Minimizar as consequências da Cetose não é uma tarefa fácil. Por isso, uma alternativa bastante utilizada é o uso de injeções de butafosfana, um fósforo orgânico utilizado na suplementação animal. Durante a lactação de vacas leiteiras, é comum a redução de fósforo no tecido hepático. Entretanto, esse é um componente que desempenha um papel fundamental no metabolismo dos carboidratos hepáticos. Além disso, o fósforo também é um componente importante entre os ácidos nucléicos e está envolvido no metabolismo energético, atuando na síntese de ATP.

Conheça uma solução eficaz contra a Cetose

Composto por butafosfana e vitamina B12, o Catosal® B12 se apresenta como uma solução eficaz no controle da Cetose, pois oferece uma melhor condição energética no período pós-parto, reduzindo os distúrbios metabólicos. Além disso, ajuda a aumentar a produtividade, maximizando a lucratividade do rebanho.

A eficiência do Catosal foi comprovada por estudo realizado no Brasil, com vacas da raça Holandesa. Após aplicação de um protocolo de 5 doses de 20 ml do produto, a cada 5 dias, e com início a partir do terceiro dia pós-parto, o experimento resultou numa diferença significativa na concentração de beta-hidroxibutirato. Na ocasião, houve uma queda de 27,8 % nos níveis de BHBA em comparação ao grupo que não utilizou o produto.

O mesmo estudo avaliou o efeito do Catosal na produtividade de vacas leiteiras, revelando um incremento na produção de 321 litros de leite por vaca nos primeiros 150 dias de lactação.

Ainda não está convencido da  eficácia do Catosal? Confira abaixo os benefícios de aplicá-lo no gado de leite.

Seis motivos para utilizar o Catosal em vacas de leite:

  • Melhora o desempenho de vacas leiteiras submetidas ao esforço intenso da lactação;
  • Aumenta a eficácia reprodutiva;
  • Melhora o estado geral dos animais debilitados;
  • Tem ação eficaz contra transtornos metabólicos causados por desnutrição, manejo inadequado e outras enfermidades;
  • Age como coadjuvante na terapia de cálcio e magnésio em casos de tetania e paresia;
  • Estimulante nos casos de esforço excessivo e esgotamento.

Fonte: https://www.catosal.com.br/?fbclid=IwAR0Q1iE2GNBrGuBhsYnPO43VD-RSNS2BgfmTcI0h0Wis50rHYgI0IJnS4rY

L.BR.MKT.AH.2019-12-20.0739