Onfalite (Inflamação do Umbigo)

Introdução:

Após o nascimento do bezerro, as duas principais preocupações do produtor são: garantir a colostragem do bezerro e a correta involução e limpeza das estruturas do umbigo com o objetivo de evitar inflamações (onfalites).
Na maior parte das vezes, a onfalite é decorrente de descuidos na limpeza e desinfecção do umbigo do neonato e, frequentemente, acham-se miíases e infecções bacterianas associadas.
O umbigo não tratado é uma porta de entrada dos microrganismos que podem se espalhar para outras áreas do corpo dos animais. Os locais mais comuns são articulações, pulmões, bexiga e fígado.
Tanto a onfalite como as infecções secundárias afetam o desenvolvimento do bezerro e podem comprometer a produtividade do animal no futuro. Em casos mais sérios, pode levar o bezerro a morte.

Etiologia:

As principais bactérias causadoras da Onfalite são: E. Coli, Proteus spp., Staphylococcus spp. e Actinomyces pyogenes. O umbigo ainda pode ser infestado por larvas da mosca Cochliomyia hominivorax, causando uma Bicheira.

Patogenia:

Após o nascimento do bezerro, o umbigo se torna um meio para crescimento de microrganismos que podem se proliferar causando a inflamação de suas estruturas. Como estas estruturas comunicam com veias, artérias e a bexiga, existe um grande risco de esta infecção espalhar para outras partes do organismo do bezerro como articulações, pulmões, bexiga e fígado.

Diagnóstico:

A onfalite acomete geralmente bezerros de 2 a 5 dias de vida, eles apresentam depressão, febre e não mamam normalmente.
Por meio da inspeção visual é possível identificar sinais de inflamação no umbigo como aumento de volume e temperatura, dor ao toque e vermelhidão.

Prevenção/Controle

A prevenção da onfalite é feita por meio da correta e rápida limpeza e cura do umbigo. Estas ações têm como objetivo ajudar na involução das estruturas e fechamento dos orifícios e prevenir infecções bacterianas e Bicheiras.
A limpeza deve ser feita com água, após isto cortar o cordão umbilical de 5 a 7 centímetros (3 a 4 dedos) da pele.
A cura pode ser feita com uma solução de iodo a 5-10% ou mesmo produtos devidamente formulados. A solução deve ser aplicada internamente nos orifícios do umbigo e deixar o cordão inteiro dentro da solução por 1 minuto.
Após este tratamento, pode-se fazer a aplicação de Baymec® 1% e/ou Tanidil® para prevenção de Bicheiras.

Tratamento

Fazer a drenagem do material purulento se presente e utilizar antibiótico Kinetomax® associado com o anti-inflamatório Flunamine®. O uso do Tanidil® é necessário se houver a presença de miíase.

Fontes:

Produtos Relacionados: