Coccidiose

Introdução:

A coccidiose é uma doença de ocorrência mundial, afeta bezerros de um a dois meses de idade, entretanto, surtos em animais de até um ano não são raros. A doença é causada por um protozoário, a Eimeria sp. que se desenvolve com maior facilidade em ambientes úmidos e é favorecida pela alta taxa lotação.

A coccidiose causa grandes perdas econômicas, pois apenas 10% dos bezerros apresentam sintomas clínicos, os outros 90% permanecem com quadro subclínico que acarreta perda de determinadas áreas no intestino, diminuindo a absorção de nutrientes, o desenvolvimento e a produção.

Etiologia:

Existem três cepas principais de Eimeria sp, e que também são as mais patogênicas: Eimeira alabamensis, E. bovis, E. zuernii, cada uma com um período pré-patente diferente:

Eimeria Alabamensis- 7 dias

E. bovis e E. zuernii- 15-22 dias

Os surtos ocorrem com maior intensidade em rebanhos com alta lotação, manejados em ambiente úmido, com barro ou sob estresse. Em bezerros de corte criados de forma extensiva a doença também é muito frequente e os reservatórios de água (cacimbas) podem ser uma importante fonte de contaminação.

Estes protozoários provocam uma extensa lesão intestinal, causando sangramentos em alguns casos. Como existem microrganismos que habitam estes locais e são oportunistas, devemos ter muita atenção na prevenção dessa doença para evitar que a eimeriose abra portas para diversas infecções.

Sinais Clínicos:

As fezes encontram-se muito fluidas, sanguinolentas ou enegrecidas (curso negro) podemos notar grande desidratação, apatia, prostração, dor abdominal, perda de apetitee peso, além de e febre e infecções secundárias.

Diagnóstico:

O diagnóstico é feito por meio da anamnese e sinais clínicos. Exames parasitológicos de fezes são necessários para fechar o diagnóstico de forma simples e de baixo custo.

Prevenção/Controle

A ferramenta mais simples e eficaz contra a coccidiose é o controle com Toltrazuril 5% (Baycox® 5%), via oral, em dose única. Esta administração deve ser realizada 14 dias antes do aparecimento dos sintomas, preferencialmente, na segunda semana de vida.

Tratamento

O tratamento consiste no uso de Toltrazuril 5% (Baycox® 5%), via oral em dose única logo que os sintomas forem observados.

O uso combinado de antibióticos de amplo espectro (Kinetomax®) pode ser necessário, pois podemos ter bactérias oportunistas associadas.

O uso de anti-inflamatórios não esteroidais (Flunamine®) também é indicado, pois por meio deles, conseguimos suprimir o processo inflamatório, a dor abdominal e a febre.

O uso de hidratantes (Glutellac®) associado à alimentação líquida (leite ou sucedâneo) é muito importante para o animal suprir suas necessidades nutricionais, melhorar sua resposta imune e favorecer a resposta aos antibióticos.

A administração de tônicos energéticos (Catosal® B12) deve ser levada em consideração, pois normalmente os bezerros encontram-se muito fracos e apáticos.

Fontes:

  • Blood, D.C. e Rodostits O.M. 2002. Clínica Veterinária. 9ª Edição. Editora Guanabara Koogan S.A., Rio de Janeiro, RJ.
  • Smith P. B. 2010. Medicina Interna de Grandes Animais. 4ª Edição. Editora Elsevier, Barcelona, Espanha.
  • Aiello S. E. 2001. Manual Merck de Veterinária. 8ª Edição. Editora Roca LTDA, São Paulo, SP.
  • Corrêa M. N.; González F.H.D.; Silva S.C. 2010.Transtornos Metabólicos Nos Animais Domésticos. Editora e Gráfica Universitária UFPEL, Pelotas, RS.

Produtos Relacionados: